Lendo
Biografias

Biografias

Histórias de pessoas e famílias

Em 1994 escrevi a primeira biografia. Dei um passo para ser também uma escritora, o que sempre quis, bem antes de ser jornalista.

Depois disso, vieram outros livros em anos salteados, mas sempre com uma história ligada a histórias de pessoas que me contratavam para escrever sobre pais, mães, filhos, homens, mulheres, empresas… famílias, enfim. Hoje entendo que as histórias são quase sempre sobre famílias, ainda que o personagem principal seja “só” uma pessoa ou mesmo uma empresa.

Relações humanas, eis a questão. Era disso que se tratava o fazer dos livros. Conhecia as pessoas naquele período de uma forma bem interessante e entendi que, na verdade, o tal livro era um livro diferente para cada personagem, cada membro da família.

O meu livro ainda não estava ali.

Mas esse aprendizado não tem preço. Especializei-me em contar essas histórias e sempre saí mais rica do que entrei. É bom que se diga, reforçando: rica em conhecimento, especialmente de pessoas. Humanos.

Somos uma espécie em constante extinção. Porém, insistente.

Para cada livro que produzi, outros tantos nasceram na minha cabeça. Há tanto retalho que a colcha já dá pra cobrir muitas camas, camas onde se fazem filhos, famílias, histórias, traições e muitas biografias.

É bom escrever! Mas descobri que é igualmente muito bom ouvir o que as pessoas não conseguem dizer, ou dizem de forma torta, tentando expressar outra coisa. Esse é o livro à parte. O que vem antes da escrita. O que fica depois da escrita sou eu, melhor, pronta para outros.

Aqui tem um breve relato dos livros que fui contratada para escrever.